Conceitos Básicos

Você está em - Home - Conceitos Básicos

Conceitos básicos sobre Doppler em Obstetrícia

DOPPLER EM GINECOLOGIA

DOPPLER EM OBSTETRÍCIA

Eduardo Boulhosa Nassar
Membro Titular do CBR
Título em Ultrassonografia pelo CBR / AMB
Médico Ultrassonografista
Diretor da CSD-Clínica Som Diagnósticos

VEJA TAMBÉM:

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

- Em 1942, Christian Johann Doppler, físico austríaco, descreveu uma teoria para explicar porquê o som tem sua frequência modificada quando uma fonte sonora está em movimento.

- O trem ao se aproximar da estação emite um apito com uma determinda frequência e comprimento de onda.

- A medida que o trem se aproxima da estação apitando, o comprimento de onda diminui, fazendo com que o observador parado na estação perceba um aumento na frequência do som.

- Quando o trem se afasta da estação ocorre um aumento do comprimento de onda, fazendo com que o observador parado na estação perceba o apito com frequência menor.
- O efeito Doppler consiste na mudança da frequência do som refletido quando a estrutura refletora esta em movimento.
- No sistema cardio-vascular as estruturas em movimento são as hemácias. Assim pelo efeito Doppler podemos avaliar a velocidade do fluxo sanguineo, bem como seu sentido. Quando o fluxo se afasta do transdutor ocorre uma diminuição da frequência do som refletido. O contrário se sucede quando o fluxo se aproxima do transdutor.

O EFEITO DOPPLER

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Análise Crítica:

- Dopplervelocimetria
- Dopplerfluxometria
- Dopplermetria
- Dopler Color
- Dopller

Dopplervelocimetria e Dopplerfluxometria

- Os termos Dopplervelocimetria e Dopplerfluxometria devem ser escritos com a primeria letra maiúscula, pois são uma homenagem ao autor da teoria.

Análise Crítica:
- A Dopplervelocimetria é o estudo do perfil de velocidade das hemácias em um dado leito vascular.
- A Dopplerfluxometria se refere a medida do fluxo sanguineo por volume, em função do tempo. (ex. ml/s)

TIPOS DE PROCESSAMENTO DOPPLER EM MEDICINA

- DOPPLER CONTÍNUO
- DOPPLER PULSADO (PULSÁTIL).
- DOPPLER COLORIDO ( MAPA DE CORES)
- DOPPLER DE AMPLITUDE

DOPPLER CONTÍNUO

- O Doppler contínuo utiliza um transdutor com dois cristais para o Doppler, um emite o sinal continuamente enquanto o outro destina-se somente a receber os sinais refletidos.

Análise Crítica:
- O Doppler Contínuo pode medir altas velocidades das hemácias e, por este motivo é intensamente utilizado em cardiologia , porém tem uma grande desvantagem de não ser seletivo, ou seja, produz um perfil da velocidade das hemácias em todos os vasos no seu trajeto de insonação ou de todos os vasos na área estudada, o que impede a avaliação específica de um único vaso.

DOPPLER Pulsado ou Pulsátil

- O Doppler Pulsado utiliza um transdutor com apenas um único cristal piezoelétrico para emitir e captar os pulsos para a análise Doppler.

- A grande vantagem do Doppler pulsado: a de selecionar o vaso a ser estudado.

Análise Crítica:

- A grande desvantagem do Doppler pulsado: A limitação nos valores máximos de velocidade que podem ser medidos. Este limite é denominado de Nyquist (LN).
- Se a velocidade das hemácias ultrapassarem o limite de Nyquist, a consequência é o aparecimento de um fenômeno chamado Aliasing ( em inglês, erro ou engano), ou seja, o gráfico de velocidade não cabe na tela e o topo do gráficoé mostrado na parte inferior.

ALIASING

A parte superior do espectro aparece abaixo da linha de base

DOPPLER Colorido

- O Doppler colorido mapea o fluxo sanguineo à cores.
- O Doppler colorido codifica o fluxo sanguineo em cores, de modo que o fluxo que se aproxima do transdutor terá a cor vermelha e o que se afasta do transdutor a cor azul. Embora as cores possam ser alteradas pelo observador.
- O fluxo de alta velocidade tende a ficar amarelado.
- O fluxo turbulento tende a forma um mosaico em cores.

Fornece quatros tipos de informações:
1 - Diante de uma imagem anecóica, permite o diagnóstico diferencial entre estrutura vascular e coleção líquida o diagnóstico diferencial entre hidrossalpinge e ectasia pélvica venosa.
2 - Diante de uma estrutura sólida, mostra o carater vascularizado (parênquima) ou avascular (coágulos, necrose, bolo de pêlos).
3 - Permite o estudo velocimétrico de vasos invisíveis na ecografia. (arteriolas ou por ex. artéria uterina em mulher menopausada).
4 - Fornece um resultado qualitativo graças a cartografia vascular do orgão ou tumor estudado. (mostra o carater hipo ou hipervascularizado).

DOPPLER de Amplitude ou Power DOPPLER

- É uma modalidade recente de Doppler que utiliza os movimentos de baixa frequência das paredes arteriais. É de 5 à 10 vezes mais sensível que o mapeamento do Doppler colorido convencional.
- É ângulo independente sendo capaz de estudar a vascularização sem a interrupção do trajeto dos vasos.

Análise Crítica:

- Não é capaz de demonstrar o sentido do fluxo sanguineo nos vasos.

Interpretação dos sinais DOPPLER
Princípios Básicos

DOPPLER de Amplitude

Interpretação dos perfis DOPPLER

ÍNDICES MAIS UTILIZADOS

I. INDICE DE RESISTÊNCIA DE STUART
OU RELAÇÃO A/B. (ESCOLA INGLESA)
=> ( S/D )

II. ÍNDICE DE RESISTÊNCIA DE POURCELOT ( IR )
=> ( S-D/S ) (ESCOLA FRANCESA)

III. ÍNDICE DE PULSATILIDADE (IP)
=> ( S-D/Vm ) (ESCOLA AMERICANA)

S = VELOCIDADE SISTÓLICA
D = VELOCIDADE DIASTÓLICA
Vm = VELOCIDADE MÉDIA ENTRE A “S” E A “D”.

Considerações DOPPLER importantes

A pressão que favorece o fluxo através do vaso decorre do:
Débito Cardíaco x Resistência Vascular Periférica, no Leito Arterial

Quando INSONAMOS uma artéria estamos de maneira indireta avaliando a resistência da parede deste vaso.

VEJA OUTROS: